Make your own free website on Tripod.com
Cuidados com a saúde
Parasitologia | Tira-dúvidas on-line | Nematódeos | Downloads | Cuidados com a saúde | Amebíase | Giardíase | Informações | Sites úteis | Assine o livro de visitas | Gifs biologia | Hematozoários I | Hematozoários II | Platelmintos

Inimigos secretos

     Algumas vezes pensamos estar sozinhos em nossas casas, refletindo sobre nossas vidas, mas, de repente... aquele susto! Cada dona-de-casa deste planeta já passou por isso, e vou contar coisas importantes sobre estes seres repugnantes que vivem nos mais sombrios esgotos e vêm nos visitar eventualmente: as BARATAS!

     Baratas são insetos de corpo ovalar e deprimido. Seu tamanho pode variar de alguns milímetros a quase 10 centímetros, tendo em geral coloração parda, marrom ou negra. Existem, no entanto, espécies coloridas.

O formato e o tamanho variam dependendo da espécie, sendo que, genericamente podemos dizer que:

- Machos são menores que as fêmeas

- Quando diferem pelas asas, os machos tem asas mais desenvolvidas que a fêmea

- Algumas espécies - machos alados e fêmeas ápteras.

A cabeça é curta, subtriangular, apresentando olhos compostos grandes e geralmente dois ocelos (olhos simples).

As antenas encontram-se inseridas entre os olhos compostos, apresentando formato filiforme e podendo atingir o dobro do comprimento do corpo. Elas desempenham um papel fundamental na sobrevivência da barata servindo não apenas como elemento de direção, mas também podendo captar vibrações no ar ou ainda cheirar alimentos ou feromônios.

O aparelho bucal é mastigador, possibilitando roerem papéis, roupas sujas de alimento (cola, doces, etc.), pelos, pintura, mel, pão, carne, batatas, gorduras, lombadas dos livros e os seus dourados. Algumas se alimentam de madeira (celulose), sendo tal alimento digerido por microrganismos como sucede entre os cupins.

O tórax apresenta o seu primeiro segmento bem desenvolvido, com o pronoto largo, achatado, cobrindo a cabeça.

As pernas são ambulatórias, tornando as baratas andarilhas excepcionais. Apresentam coxa grande, fêmures e tíbias com espinhos e, em geral, têm tarsos pentâmeros.

Quando presentes, apresentam dois pares de asas, sendo o primeiro par tipicamente coriáceo (tégmina) e o segundo membranoso.

O abdome é séssil, alargado e deprimido, apresentando em geral 10 segmentos. Apresenta um par de cercos no último urômero, acrescido de um par de estilos nos machos.

A postura dos ovos é feita dentro de uma cripta genital em uma capsula denominada ooteca.

COMPORTAMENTO

Baratas são animais de hábitos noturnos, sendo mais ativas à noite, quando saem do abrigo para alimentação, cópula, oviposição, dispersão, vôo.

O hábito noturno das baratas pode ser explicado através do mecanismo de seleção natural. Durante sua evolução as baratas que se mantinham ativas à noite sobreviviam, ao contrário daquelas que tinham hábitos diurnos. Estes insetos passaram assim a predominar no ambiente, transmitindo a seus descendentes este comportamento chamado de fototropismo negativo, significando que elas procuram sempre a escuridão ao invés da luz.

Durante o dia ficam abrigadas da luz e da presença de pessoas, algumas condições especiais contribuem para o seu aparecimento diurno, tais como:

- Excesso de população

- Falta de alimento ou água (stress)

Embora não sejam animais sociais, como as abelhas, cupins e formigas, as baratas são gregárias, sendo comum ocorrerem em grupos.

REPRODUÇÃO E DESENVOLVIMENTO

As baratas são insetos hemimetábolos, ou seja, apresentam metamorfose gradual ou parcial (simples) em três estágios: ovo, ninfa e adulto.

Fêmea produz uma capsula protetora dos ovos (ooteca), em forma de bolsa fechada, a qual contém duas fileiras de ovos justapostas e separadas por uma membrana. O número de ovos varia com a espécie podendo variar de 4 a 50 ovos.

A ooteca é colocada, pela maioria das espécies, em um lugar seguro, próximo à uma fonte de alimentos, cerca de dois dias após sua formação. Apenas a Barata alemã (B.germanica) carrega a ooteca até cerca de 24-48 horas antes da eclosão dos ovos.

As próprias ninfas rompem a ooteca na maioria das espécies, à exceção da Barata-de-esgoto (P.americana) onde as formas jovens são liberadas com o auxílio da mandíbula materna.

As formas jovens (ninfas) se parecem-se com as adultas, menos por:

- apresentarem coloração clara, praticamente branca, escurecendo em algumas horas por causa da oxidação dos componentes da pele.

- não tem asas

- Sofrem mudas (ecdise) para crescer, ou seja, perdem o esqueleto externo ou casca.

- Última muda = barata adulta, com asas totalmente formadas e sexualmente madura.

Nota: Após a muda, durante um período de aproximadamente 24 horas, as ninfas permanecem com uma aparência esbranquiçada até que o novo esqueleto adquira o enrijecimento original. Durante esta fase, as baratas estão sujeitas ao ataque da própria espécie e ao canibalismo.

O ciclo de desenvolvimento da barata, do ovo à fase adulta, depende de fatores como:

- espécie

- condições de temperatura e umidade (alta temperatura e alta umidade favorecem um menor tempo de desenvolvimento).

- quantidade de alimento e teor de proteína disponível.

- outras condições ambientais.

Para se ter um idéia, este ciclo pode variar de 53 dias para a B.germanica até 2 anos para a B.orientalis.

 As espécies de baratas mais comuns em domicílios são:

Periplaneta americana (Linnaeus) - barata de esgoto

Periplaneta australasiae Periplaneta australasiae (Fabricius)

Blatta orientalis Linnaeus

Blatella germanica (Linnaeus) - barata alemã

Supella longipalpa (Fabricius) - barata de listras marrons

Alguns autores consideram as quatro primeiras apenas como baratas domésticas. As mais comuns no Brasil são a Barata alemã Blatella germanica e a Barata-de-esgoto Periplaneta americana

barata.gif

Escrevam!

Importantes dicas sobre parasitologia e outras questões relevantes na biologia e na medicina de um modo geral.